Como cantar melhor – dicas vocais

Como cantar melhor – dicas vocais

Sabe aquelas pessoas que cantam de forma desafinada ou com a voz trêmula? Pois é, são pessoas que ainda não dominam, ou não conhecem, as técnicas vocais e seus diversos processos ou não tiveram a oportunidade de fazer uma aula de canto.

Nesse sentido, a técnica vocal envolve uma série de movimentos fisiológicos, ordenados e sistematizados, utilizados para a finalidade artística.

Quando estudamos sobre técnica vocal, adquirimos conhecimento sobre: características do som (altura, intensidade, timbre); funcionamento dos aparelhos respiratório e fonadorpropriedades da voz, além de técnicas de respiração e vocalizes. Ainda aprendemos a perceber os sons e a saber reproduzi-los.

Lembramos que a voz é um elemento muito importante para a comunicação, prática inerente à vida. Podemos nos comunicar de forma verbal e não verbal, através da nossa linguagem corporal, postura, gestos, e sons. Verbalmente, nos comunicamos por meio da escrita e, especialmente, através da fala.

Falar de forma adequada e eficiente exige objetividade e clareza. Ao externarmos uma mensagem que seja compreendida pelo ouvinte, muitas vezes utilizamos a voz, instrumento-base que confere existência e expressividade à comunicação. O modo como articulamos as palavras pode vir a ser o fator que influencia o ouvinte ou um público. Além disso, é por meio da dicção de sua voz que o orador se revela, inclusive em suas nuances emocionais, e é capaz de cativar seu público.

  1. A importância da boa dicção

A importância da boa dicção

dicção se refere à pronúncia do som das palavras, sílabas e das letras na fala. A fala de qualidade abarca uma dicção clara e precisa. Esta deve ser, portanto, educada, corrigida, praticada e aperfeiçoada. (aula de canto porto alegre)

Aperfeiçoar a dicção requer vontade, disciplina e trabalho. A boa dicção é uma prática, um hábito que se adquire com preparo e treino.

Existem três fatores relacionados à dicção: respiração adequada, aquecimento dos músculos faciais aquecimento da língua. Todos envolvem diretamente o aquecimento vocal. É preciso também aprender a relaxar, a respirar corretamente e a articular adequadamente as palavras. E, vale lembrar, nesse sentido a ajuda de um bom fonoaudiólogo ou professor da área pode ser indispensável.

Confira alguns exercícios de técnica vocal

Para começar a trabalhar a voz, seleccionamos alguns exercícios para serem praticados por iniciantes e profissionais. São técnicas vocais que vão te ajudar a aumentar a extensão vocal, a regular a afinação, a melhorar articulação e impostação da voz.

1. Controlando a respiração

A respiração é um dos itens mais importantes no canto, pois está relacionada com a afinação, colocação e volume da voz e a resistência do cantor. Por isso é essencial ter um bom condicionamento físico (ter fôlego para cantar, rs) e uma respiração controlada.

Para começar a trabalhar a sua respiração, oferecemos um exercício fácil e simples:

  • O primeiro passo é deitar de costas e colocar um livro sob sua barriga.
  • Procure inspirar (pelo nariz) e expirar sem movimentar muito o livro.
  • Imagine que o seu diafragma seja uma bexiga que você deva encher, inspirando como se estivesse cheirando uma flor.
  • Para expirar, solte o ar como se estivesse soprando uma vela.

2. Aquecimento vocal

O aquecimento prepara os músculos vocais para um melhor desempenho e contribui para a prevenção de lesões. Exercícios para aquecer a voz podem ser praticados não apenas por quem canta, mas por todas as pessoas que precisam da voz para trabalhar. Além disso, essa técnica faz toda a diferença para quem faz exercícios visando aumentar a sua extensão vocal.

Antes de começar, alinhe a sua postura corporal. Se estiver levantado, mantenha os pés bem apoiados no chão, os ombros abertos e para trás e mantenha a cabeça erguida. Se estiver sentado, a única coisa que muda em relação à anterior são costas na cadeira de forma alinhada.

Preparado, repita 3 vezes cada exercício abaixo:

Inspire e solte o ar lentamente, como uma baforada ou um “A” sussurrado, até o ar acabar. Retraia o abdômen devagar e relaxe a garganta.

Inspire e produza uma vibração com a língua, em “Trrrrr”, soltando o ar e sentindo a vibração da língua no céu da boca, sempre retraindo o abdômen devagar e controlando o ar.

Inspire e faça uma vibração com os lábios, em “Brrrr”, até o ar acabar, trabalhando o abdómen também.

Inspire e emita o som “DZ”, com a ponta da língua encostada nos dentes da frente na parte superior. Faça até o ar acabar e não se esqueça de trabalhar o abdômen.

Vale lembrar que, infelizmente, é comum a muitos iniciantes, estudantes de canto e até mesmo cantores experientes negligenciarem essa etapa de aquecimento vocal, essencial antes de iniciar as aulas de canto ou apresentações.

Assim como um atleta necessita aquecer e alongar seu corpo antes de iniciar sua série de exercícios físicos, da mesma forma precisamos realizar o aquecimento vocal. Muitas pessoas confundem essa prática como se fosse algo simplesmente ligado à temperatura, enquanto que, na realidade, ela se refere à circulação sanguínea e irrigação das áreas que serão utilizadas para nossas tarefas posteriores.

O aquecimento prepara não apenas as pregas vocais, mas todo o corpo é avisado de que aquela região será utilizada daquele momento em diante, portanto, mesmo que de forma rápida, é importante praticá-lo.

Muitas pessoas, no entanto, costumam dizer que não têm problemas na voz mesmo sem nunca terem feito o aquecimento. É bom ressaltar que esses problemas não aparecem do dia para a noite. Eles vão sendo gerados aos poucos e, quando você realmente percebe alguma coisa, provavelmente o problema já vai estar grande demais e poderá demandar a intervenção urgente de um profissional fonoaudiólogo para amenizar os danos.

Lembre-se que após danificar suas cordas vocais, você não vai poder simplesmente ir na loja mais próxima e comprar um conjunto novo. Para aqueles que usam a voz de forma profissional e constante, o acompanhamento de um fonoaudiólogo para que ele avalie a progressão de seu aparelho fonador é essencial.

Em seguida ao aquecimento da voz, você terá maior controle sobre ela e um timbre melhor colocado, sem grandes esforços; além do maior benefício de poupar suas pregas vocais dos danos causados pela falta de aquecimento.

Durante todo o processo mantenha suas cordas vocais relaxadas e não as force. Beba bastante água durante todo o dia para que, no momento da prática, a mucosa esteja hidratada e na condição ideal de proteger todo o sistema vocal.

Você terá, portanto, uma sessão de estudos muito mais proveitosa e com melhor qualidade. A falta do aquecimento, além de danificar o aparelho fonador, pode resultar em uma sessão frustrada, pois é possível que você não obtenha o máximo que sua voz pode oferecer.

Primeiro passo: inspire enchendo seus pulmões de ar e expandindo o diafragma. Posicione as mãos embaixo das costelas para que você tenha uma melhor noção do movimento. Solte o ar constantemente e fazendo um som de “TRRRR”, como se fosse mesmo um trator. Faça isso por cerca de 10 minutos.

Segundo passo: usando o som de “RRRR” ou “TRRRR”, comece executando notas em tons médios e passe para o agudo. Faça isso por 3 minutos, sem forçar demais.

Terceiro passo: gire a língua 10 vezes para a esquerda dentro da boca e depois 10 vezes para a direita. Dê uma pausa e repita isso por 3 vezes, pelo menos.

Quarto passo: faça sons leves em sua região confortável. Não é necessário que um instrumento musical te acompanhe. Faça algo semelhante ao som de uma sirene.

Quinto passo: Vá do som mais grave da sua voz ao som mais agudo, sem forçar. Repita algumas vezes.

3. Desaquecendo a voz

Tão importante quanto aquecer é desaquecer a voz, pois ambas as práticas colocam a voz na condição ideal tanto para uso quanto para iniciar o descanso. Depois de cantar, você deve fazer alguns exercícios que ajudem a relaxar o corpo e a trazer a voz para o estado normal. Existem vários, mas listamos alguns exercícios fáceis e eficazes:

  • Vibre os lábios emitindo o som “Brrrr…”.
  • Boceje umas 10 vezes para relaxar a musculatura e as articulações.
  • Beba água em temperatura ambiente, pois o movimento de engolir relaxa a laringe.
  • Mantenha a voz em repouso por uns 20 minutos, evitando falar.

Tanto o aquecimento quando o desaquecimento são importantes para quem trabalha a voz diariamente.

4. Trabalhando a afinação

Todos nós somos capazes de emitir vários tipos de vozes. De acordo com cada situação, nós podemos mudar completamente a qualidade da nossa voz. Por exemplo, fazer uma voz mais fina ou mais grossa. A aula de canto é ótimo para isso.

Se conseguimos ter consciência e controle dessas variações, fica muito mais fácil na hora de cantar e de apresentar a voz de acordo com a música. Algumas pessoas podem fazer isso naturalmente, mas também é possível adquirir uma boa afinação através de exercícios vocais e treinamento auditivo.

Como melhorar a afinação

  • Comece encontrando o tom ideal para você. Isso vai te ajudar a manter a afinação durante a música.
  • Cante várias vezes a mesma música, junto com a gravação original.
  • Treine separado os trechos mais complicados.
  • Faça gravações suas cantando a música.

Importante dizer que cantar com corpo tenso não ajuda. Músculos contraídos prejudicam a produção da voz e, consequentemente, a afinação. Além disso, deixe a timidez de lado e solte a voz.

5. Aperfeiçoando a dicção

Os exercícios se parecem com aqueles que aprendemos quando estávamos na escola, mas o fato é que eles podem ajudar a trabalhar a voz. Uma boa dicção permitirá a pronúncia das palavras de forma clara e compreensível.

Com um pequeno objeto, que pode ser um lápis, colocado apenas 1 cm dentro da boca, leia frases diversas, rimas e travas-línguas. Leia num ritmo normal, lento e rápido.

6. Aumentando a capacidade respiratória

A capacidade respiratória refere-se à quantidade de ar que o pulmão consegue reservar e utilizar. É muito importante para quem quer cantar, já que garante manter um fluxo de ar constante passando nas cordas vocais. Isso permite sustentar uma nota por mais tempo, sem precisar parar para respirar.

Um modo simples de treinar os pulmões e aumentar a capacidade respiratória consiste em inspirar fundo e reter o máximo de ar possível dentro dos pulmões. Em seguida, deve-se expirar lentamente o ar ao mesmo tempo que se faz o som “sssss”, como se uma bola se esvaziasse. Durante o processo de colocar o ar para fora, pode-se contar quantos segundos o mesmo dura e, aos poucos, ir tentando aumentar esse tempo.

7. Melhorando a ressonância

A ressonância está associada à forma como o som produzido pelas cordas vocais vibra dentro da garganta e da boca, de forma muito semelhante como acontece dentro de um violão quando alguém puxa uma de suas cordas, por exemplo. Portanto, quanto maior o espaço para que essa ressonância possa acontecer, mais rica e cheia será a voz – o que a torna mais bonita para cantar.

Um exercício que treina a capacidade de ressonância é dizer a palavra “hâng” enquanto se tenta manter a garganta bem aberta e o céu da boca levantado. Depois de conseguir realizar isso, pode-se adicionar um “á” ao final da palavra, resultando em “hâng-áá” e repetir por várias vezes.

É fácil identificar durante esse exercício que a parte de trás da garganta fica mais aberta e é esse movimento que se deve fazer quando se está cantando, sobretudo quando é necessário sustentar uma nota.

8. Dominando a técnica do “som nasal”

O som nasal é fácil de ser percebido, pois é aquele som que emitimos quando dizemos a letra “M” com os lábios fechados. É um tipo de som que ajuda a reduzir a tensão da laringe e da faringe.

Para trabalhar o som nasal, você bloqueia o nariz (sem pressionar muito alto ou muito forte), contrai seu abdômen e produz um som. Em seguida, desbloqueie seu nariz.

9. Liberando a voz

Alguns exercícios podem ajudar a soltar a voz, principalmente quando parece que ela está bloqueada ou “amarrada”. Para esses casos, sente-se agachado, com joelhos dobrados e braços em volta do seu corpo. A ideia é ficar parecendo um nó, todo encolhido.

Depois, segure a respiração e os órgãos vocalizadores no centro (pélvis e diafragma). Por fim, respire e se estique rapidamente, como se estivesse se espreguiçando, e solte a voz dizendo “UGH”, de forma bem profunda. Descanse por um minuto e depois repita o exercício por até dez vezes.

10. Relaxando a laringe

Nos casos durante o canto em que a laringe encontra-se muito contraída, por exemplo, é comum sentir que se atingiu um “teto” na capacidade que se tem para cantar mais agudo. Além disso, a contração da laringe desencadeia também uma sensação de bola na garganta, o que pode acabar prejudicando a forma como a voz é produzida.

Pensando nisso, sempre que surgirem esse sinais, uma boa forma de voltar a relaxar a laringe consiste em dizer a palavra “ah”, mantendo a nota por algum tempo. Em seguida, deve-se repetir o exercício até sentir que a laringe está mais relaxada e que a sensação de bola na garganta está desaparecendo.

11. Relaxando o corpo

Como comentado anteriormente, ter os músculos contraídos atrapalha o seu desempenho vocal. Para evitar problemas, realize alguns exercícios de relaxamento.

  • Gire a cabeça para o lado direito e para o lado esquerdo.
  • Movimente a cabeça para cima e para baixo.
  • Faça caretas procurando usar todos os músculos do rosto.
  • Articule dizendo as vogais A/E/I/O/U, forçando o diafragma.

12. Fortalecendo o diafragma

Respirar usando o diafragma permite que você tenha um timbre melhor. Abaixo, três exercícios ideais para quem quer fortalecer o diafragma:

  • Imagine que você está ofegante e respire como se fosse um cachorro cansado.
  • Finja que está bebendo algo, sugando um suco pelo canudinho.

Mantenha seus ombros e seu peito parados, e expire com força, como se estivesse fazendo um grande esforço.

Para todos os exercícios, mantenha os ombros e o peito parados, e a mão sobre a barriga para verificar se está realmente usando o diafragma corretamente.

13. Usando os vocalizes

Vocalize é um trabalho ao redor da vogal, em oposição às consoantes. Também conhecido como exercícios vocais, é utilizado para condicionamento das pregas vocais e desenvolvimento de determinadas habilidades na voz.

Para fazer é simples também. Você escolhe uma música e começa a cantarolar, seguindo o ritmo, mas usando uma combinação de consoante e vogal. Por exemplo, você pode combinar “mi-mi-mi” ou “na-na-na”. O grande segredo deste exercício é a repetição.

Doutro lado, a respiração correta é uma das coisas mais importantes no canto. Ao respirar, inspire o ar pelo diafragma em vez do peito. Ou seja, ao puxar o ar, o abdome deve se expandir em vez do peito. Quando cantar, você empurrará o diafragma ao subir a escala e o soltará ao descer a escala.  

Apoiar a voz com o diafragma é uma das chaves para o canto. Para praticar, coloque uma mão sobre o estômago e inspire pelo nariz. Seu abdômen deverá se expandir e se projectar para fora ao inspirar, e seu peito não deverá se mover para frente ou para cima. Ao expirar, empurre e contraia os músculos abdominais. A sensação deverá ser a de fazer um abdominal. Repita até que o movimento fique natural quando você estiver cantando.

Entretanto, Para cantar bem, mantenha uma boa postura. Você deverá estar em pé ou sentado com as costas retas, e o corpo não deverá se inclinar para um lado ou para o outro. Não incline a cabeça para trás ou para frente